Para manter o equilíbrio econômico-financeiro do transporte coletivo de passageiros em Itabira, a Administração Municipal balizou propostas, definiu um meio-termo e decretou o acréscimo de 30 centavos no custo da passagem. Ela passará para R$ 4,30 no chamado Cisne Card e para R$ 4,40 em dinheiro, em vigor a partir do dia 15 de março.

O reajuste ficou abaixo da inflação medida desde abril de 2018, quando aconteceu o último reajuste da tarifa: 7,5% contra 7,67%, medido no período pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor).

A Prefeitura de Itabira manteve a tarifa congelada nos últimos dois anos apesar de um sucessivo aumento nos preços dos combustíveis e outros encargos absorvidos pelo sistema. O governo entende que, agora, foi necessário adequar o valor para não comprometer a sustentabilidade do serviço.

A Transportes Cisne havia pedido um aumento de 16,25%, elevando a passagem dos atuais R$ 4 (no Cisne Card) para R$ 4,65. Já a Superintendência de Transportes e Trânsito (Transita) refez os cálculos das planilhas de custos e indicou o valor de R$ 4,57 para a tarifa. Por último, o Conselho Municipal de Transportes e Transito (CMTT) analisou e votou uma proposta de aumento para R$ 4,40 no cartão recarregável e para R$ 4,50 em moeda corrente.

Além dos encargos citados, impacta o custeio do transporte o acesso dos não pagantes – idosos e pessoas com deficiência -, além do subsídio dos estudantes atendidos pelo meio passe e passe integral.

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: