Para jogar com Jorge Sampaoli, um goleiro precisa ser eficiente não apenas debaixo das traves, mas também na construção de jogadas. Rafael sabe bem disso. Antes de o argentino assumir o comando do Atlético, outros treinadores já elogiavam o desempenho com os pés do arqueiro de 30 anos ao longo da carreira. Na Cidade do Galo, porém, ele teria uma “prova de fogo”.

Afinal, apesar da análise positiva de ex-comandantes, Rafael nunca havia precisado se adequar a um sistema de jogo em que a ordem para evitar chutões era tão rígida como agora. E o início com a camisa alvinegra foi cercado de desconfianças, inclusive por parte de Sampaoli, que chegou a pedir a contratação de um outro goleiro para a diretoria do Atlético. A sequência de boas atuações, porém, fizeram com que o titular ganhasse moral com o argentino.

Após a vitória por por 3 a 0 sobre o São Paulo, nessa quinta-feira, Sampaoli rasgou elogios a Rafael. “Teve uma atuação importante em duas ou três jogadas no primeiro tempo. Ele está se consolidando, entendendo como é a maneira de jogar. Está crescendo, como está crescendo todo o time: progressivamente. Dele, nasce tudo. Todos têm uma evolução. Hoje, teve uma atuação bastante importante”, analisou o treinador no Mineirão, em entrevista depois da partida que colocou o Atlético na terceira posição do Campeonato Brasileiro ao fim de sete rodadas.

Rafael fez defesas importantes ao longo do jogo, especialmente nos primeiros 30 minutos, que foram dominados pelo São Paulo. Depois de suportar a pressão adversária, o Atlético deslanchou, tomou o domínio da partida e marcou três gols (dois do meio-campista Alan Franco e um do volante Jair).

Enfrentar o São Paulo foi um dos maiores desafios para Rafael no Atlético. Afinal, a equipe do técnico Fernando Diniz marca pressão e dificulta a vida de goleiros que se propõem a sair jogando curto, sem chutões. Diante das dificuldades, o arqueiro atleticano até modificou o estilo de jogo e fez mais lançamentos.

Foram 18 – segunda maior marca de Rafael neste Brasileirão, inferior apenas aos 25 da vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo, outra equipe que marca pressão. Os dados são do Sofascore, especialista em estatísticas de futebol.

Num dos cinco lançamentos certos que deu ao longo da partida, Rafael foi fundamental na construção do segundo gol do Atlético, marcado aos 43 minutos do primeiro tempo. O goleiro deu o passe longo e encontrou Eduardo Sasha, que desviou de cabeça para Hyoran. O meia tocou de primeira para Alan Franco. De dentro da área, o equatoriano finalizou firme e estufou as redes.

A melhora de Rafael não apenas renderam elogios públicos de Sampaoli durante a entrevista pós-jogo. Internamente, o treinador já não pede com tanta frequência que a diretoria contrate um goleiro que seja especialista com os pés. Afinal, o atual titular do Atlético tem dado conta do recado.

Estado de Minas

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: