A bancada mineira foi uma das responsáveis pelo cenário de cadeiras vazias durante a sessão solene conjunta entre deputados e senadores, na segunda-feira, para marcar o retorno das atividades legislativas após 45 dias de férias. Dos 53 deputados mineiros – o estado tem a segunda maior bancada –, apenas sete estavam presentes.

Apesar de ser considerado o início oficial das atividades do ano, é costume que os parlamentares só voltem para Brasília entre a noite de segunda e a terça-feira. De todos os 513 deputados, apenas 65 compareceram à reunião. Entre os mineiros estavam presentes André Janones (Avante), Junio Amaral (PSL), Margarida Salomão (PT), Reginaldo Lopes (PT), Tiago Miltraud (Novo), Weliton Prado (PROS) e Zé Vitor (PL).

O Estado de Minas procurou alguns dos deputados que faltaram à sessão para descobrir o motivo da ausência. De acordo com o gabinete do deputado Diego Andrade (PSD), ele estava na Câmara na tarde de segunda-feira e presente na reunião.

Apesar disso, o nome do deputado não está na lista disponibilizada pela casa. No caso de Paulo Abi-Ackel (PSDB), o deputado federal também estava na presente na Câmara, mas na hora da sessão participava de reuniões com prefeituras atingidas pelas chuvas que destruíram algumas cidades mineiras.

Esta também foi a razão que a assessoria do deputado Odair Cunha (PT) apresentou ao ser questionada pela ausência do parlamentar. De acordo com o gabinete, o deputado participou de reuniões para definir alguns orçamentos junto às prefeituras. Segundo a assessoria da deputada Áurea Carolina (Psol), ela não participou da cerimônia por ter antecipado a licença-maternidade após orientações médicas. Ela ficará afastada por 4 meses.

Apesar de a assessoria da Câmara ter entregue a lista com o nome dos deputados que estavam na Casa, a marcação de presença só ocorre em sessão deliberativa, o que não foi o caso da reunião de segunda-feira.

Dos três senadores mineiros, Antônio Anastasia (PSDB), Carlos Viana (PSD) participaram da sessão solene em Brasília. Já o senador Rodrigo Pacheco afirmou, via assessoria, que estava cumprindo agenda e por isso não pôde participar da reunião.

A cerimônia de abertura dos trabalhos legislativos no ano foi conduzida pelo presidente do Congresso e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Como de costume, o ministro-chefe da Casa Civil levou uma mensagem do presidente da República. Onyx Lorenzoni (DEM), o atual chefe da pasta, entregou à mesa as palavras de Jair Bolsonaro (sem partido), que estava em São Paulo. Bolsonaro citou no texto enviado as sete propostas em tramitação no Legislativo como prioridades do governo para 2020.

Como os deputados, a maioria dos ministros não prestigiou a abertura do ano legislativo. Os únicos presentes à sessão foram Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Tereza Cristina (Agricultura) e Osmar Terra (Cidadania).

Estado de Minas

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: