As tempestades de verão acendem alerta para a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, o vetor da dengue, chikungunya e zica. Em apenas 15 dias de janeiro, foram registrados 677 prováveis casos de dengue, o que corresponde a 48 infecções pelo vírus a cada dia.

Os casos registrados nos primeiros dias do ano demonstram que é preciso reforçar a prevenção para impedir a proliferação de criadouros do mosquito. O número de casos em janeiro de 2020 é quatro vezes maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

Em 2020, as autoridades de saúde investigam uma morte. Até o momento nenhuma morte foi confirmada. O ano de 2019 registrou surto da doença com 173 mortes causadas pela dengue. Outros 101 casos seguem em investigação. No total, foram 116.484 casos.

No ano passado, foram registrados 2.828 casos prováveis de chikungunya. Desse total, 48 gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Em 2020, até o momento oito casos prováveis foram notificados.

Já em relação à zika, em 2019 foram registrados 703 casos prováveis, sendo 165 em gestantes. Em 2020 até o momento foi registrado 01 caso em não gestante no município de Jampruca.

A Secretaria de Estado da Saúde lembra que 84% dos focos do mosquito são encontrados dentro das residências. Por essa razão, cuidados diários devem ser mantidos pela população em todas as épocas do ano. A orientação é eliminar água parada em pratos de plantas, vasilhames no quintal, calhas entupidas e caixas de água destampadas.

Os agentes de combate a endemias fazem vistorias nas residências, instruindo os moradores a não deixar a água parada em qualquer tipo de recipiente e, assim, evitar o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. Em 2019, de janeiro a dezembro, foram realizadas quase 5 milhões de vistorias.

Estado de Minas

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: