Formado na Cidade do Galo, o goleiro Cleiton, de 22 anos, foi vendido pelo Atlético ao Red Bull Bragantino por 5 milhões de euros (cerca de R$ 23,6 milhões na cotação atual). A transferência, oficializada na tarde de ontem, abre espaço para um jogador da posição no elenco alvinegro. E o preferido da diretoria comandada pelo presidente Sérgio Sette Câmara é Rafael, em imbróglio judicial com o arquirrival Cruzeiro.

Aos 30 anos, o reserva de Fábio quer deixar a Toca da Raposa II para buscar protagonismo em outro clube. E o destino pode mesmo ser o Atlético, que, segundo apurou o Superesportes, já buscou informações a respeito de Rafael e sinalizou interesse em contratá-lo. Pessoas ligadas ao mercado, inclusive, já dão o acordo como certo. Porém, ainda não há nada fechado. A indefinição judicial sobre o futuro do jogador e o contrato ainda em vigor com o Cruzeiro fazem com que a diretoria alvinegra se cale publicamente sobre o tema.

O goleiro tem contrato até o fim de 2021. Recentemente, entrou com ação na Justiça do Trabalho contra o Cruzeiro por atrasos de salários, férias e FGTS, em processo que tramita em segredo judicial. Sem acordo amigável pela rescisão, Rafael e representantes do clube celeste se encontrarão em audiência de conciliação marcada para esta sexta-feira, dia 14 de fevereiro. É possível que haja acerto entre as partes sobre o rompimento do vínculo.

Diante da chance de perder Rafael justamente para o arquirrival, o Cruzeiro chegou a admitir publicamente que cogita impor restrições, num eventual acordo de rescisão, ao goleiro sobre um possível acerto com o Atlético. Seria algo semelhante ao feito no ‘caso Fred’, de R$ 10 milhões, que segue em disputa na Justiça.

A reportagem tentou contato com Rafael e o empresário Fábio Mello, que o agencia. As ligações, porém, não foram atendidas. O Cruzeiro aguarda o desfecho na Justiça. Já o Atlético não se pronuncia publicamente sobre negociações. Em entrevista recente, o vice-presidente alvinegro, Lásaro Cândido da Cunha, despistou sobre o interesse.

O dirigente atleticano manteve a cautela ao falar sobre o tema, já que ainda existe um contrato em vigor entre o goleiro e o clube celeste. “A gente não conversa com jogador que tem contrato. Se o jogador não tem contrato, não há nenhum problema. Para nós, se não está liberado, não quero conversa e não é correto”, declarou Lásaro, em entrevista no último dia 30 de janeiro. O Atlético espera a rescisão do vínculo para avançar nas tratativas.

Enquanto não define o futuro, Rafael treina por conta própria. Ainda no fim de janeiro, o jogador – que chegou a ser pretendido pelo Palmeiras durante a última temporada – começou a trabalhar com o ex-preparador de goleiros do Cruzeiro, Robertinho Barbosa. Com 112 jogos, o arqueiro é o 15º da posição com mais partidas com a camisa celeste.

Elenco ‘enxuto’

Além de Cleiton – que se transformou na maior venda de goleiro da história do Atlético -, o clube alvinegro liberou o jovem Fernando, de 22 anos, por empréstimo ao Cuiabá até o fim de 2020. Para isso, renovou o vínculo dele até 2021. Com dinheiro em caixa, a diretoria alvinegra agora parte em busca de reforços para uma posição que conta com apenas três jogadores no elenco: o titular Michael, o ídolo Victor e o garoto Matheus Mendes.

Formado na Cidade do Galo, Michael tem 24 anos e nunca havia disputado jogos pelo profissional do Atlético até 2020. Neste ano, assumiu a titularidade por conta da ausência de Cleiton – fora da pré-temporada e dos primeiros jogos para defender a Seleção Brasileira Sub-23 no Pré-Olímpico – e do processo de recondicionamento físico de Victor. Em seis jogos, sofreu quatro gols. Tem sido elogiado com frequência pelo técnico Rafael Dudamel.

O ídolo Victor, por sua vez, está em baixa. Aos 37 anos, começou a perder espaço ainda em 2019, quando ficou fora da maior parte do segundo semestre em função de uma tendinite no joelho esquerdo. A última partida que disputou foi em 8 de dezembro, quando o Atlético perdeu por 2 a 1 para o Internacional, no Beira-Rio, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. Está totalmente recuperado, mas é visto como reserva por Dudamel.

Já Matheus Mendes, de apenas 20 anos, é o terceiro goleiro do Atlético no momento. O clube entende que o garoto ainda não está pronto para assumir o protagonismo no time de cima e, por isso, aguarda a evolução nos próximos anos. Ele chegou a ser inscrito na Copa Sul-Americana. A intenção, porém, é contratar um jogador mais experiente para ser titular.

Estado de Minas

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: