Duas vitórias no Campeonato Mineiro, com seis gols marcados e nenhum sofrido. Na teoria, o início de ano do Atlético sob o comando do venezuelano Rafael Dudamel vai ao encontro do que foi planejado pela diretoria e pela comissão técnica nesta fase de pré-temporada. Mas é consenso no clube que a equipe precisa de evolução até a estreia na Copa Sul-Americana, na semana que vem, contra o Unión Santa Fe, na Argentina, competição tida como a mais importante nesse começo de 2020.

Até lá, o Galo terá os compromissos com Coimbra, nesta quarta, e Tombense, domingo, ambos no Independência, para dar mais ritmo à equipe titular. O fato de não ter de viajar até a estreia no torneio internacional é um aspecto positivo para o time alvinegro, que evitará o desgaste na estrada e permitirá que o tempo seja melhor usado na preparação para o confronto de mata-mata.

Um dos desafios de Dudamel é justamente implantar uma variação na formação em campo, tendo usado o esquema com três volantes (Zé Welison, Jair e Allan) contra Uberlândia e Tupynambás. “A equipe irá absorvendo cada dia melhor a ideia de jogo. É normal ter dificuldades, porque jogamos uma partida quatro dias atrás (contra o Uberlândia) com alto nível de exigência. O jogador tem que ir se superando nessa exigência física e mental de querer sempre ganhar. Há coisas a melhorar, como a busca pelos espaços na amplitude de ataque. Mas só vamos conseguir isso se jogarmos cada vez mais”, afirma o treinador de 47 anos, que está há três semanas vivendo o dia a dia do clube sem folga.

Com mais uma semana de trabalho, a intenção da comissão técnica é que os titulares já estejam com ritmo de jogo razoável e condição física melhor. Vários atletas sinalizaram desgaste depois do duelo no Triângulo, na estreia na temporada, sobretudo depois do intervalo. Diante do Tupynambás, o Galo suportou bem os minutos finais com a entrada de três atletas descansados, casos de Bruninho, Ricardo Oliveira e Bruno Silva.

O zagueiro Igor Rabello avalia que é possível perceber mais dinâmica na troca de passes e na marcação, mas é preciso sequência por mais evolução: “Estamos prontos (para um jogo internacional), mas é preciso melhorar a cada dia. Nunca está 100%. Esse é o nosso objetivo”. Ao mesmo tempo, avaliza o pequeno rodízio proposto pelo treinador. “Essa situação do Dudamel estar revezando a equipe é um ponto positivo para todos, porque ele vai conhecendo o grupo e os jogadores vão ganhando minutos em campo. Ele cobra bastante na rapidez com a bola e exige marcação firme. Quem tem a ganhar com isso é o Galo”.

FASE DE TESTES

O novo técnico promete mais uma vez observar outros atletas diante do Coimbra, cuja partida terá mando de campo do adversário. Depois de testar os zagueiros Réver, Gabriel e Igor Rabello nas duas primeiras rodadas, quem poderá começar nesta quarta é Maidana, que perdeu espaço, mas é visto com potencial numa venda para o exterior. Quem também não teve chance ainda foi o armador Nathan, de contrato renovado. “A competição interna é o mais importante. Tenho que ter os melhores jogadores para escalar e tomar as melhores decisões”, avisa Dudamel.

Já o atacante Bruno Silva, autor de um dos gols nos 5 a 0 sobre o Tupynambás, ficará pelo menos um mês afastado por causa de estiramento na coxa esquerda. Ele se tornou opção para a camisa 9, tendo Di Santo e Ricardo Oliveira como concorrentes.

Cinco pilares para o crescimento

1) Variações de jogo do meio para a frente diferente do 4-3-3
2) Marcação pelas beiradas, sobretudo depois dos avanços dos laterais
3) Finalizações de média e longa distância
4) Inversões de jogada com mais intensidade
5) Condição física geral do grupo

Estado de Minas

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: