Chantek, um orangotango macho que aprendeu a se comunicar pela linguagem dos sinais, morreu aos 39 anos, nos Estados Unidos – anunciou o zoológico de Atlanta.

Os veterinários do zoo vinham tratando Chantek por uma enfermidade cardíaca, mas se mantêm reticentes sobre a causa do óbito do animal, na segunda-feira (8).
O orangotango nasceu em Atlanta, mas foi criado como um humano por um antropólogo no Tennesssee, que lhe ensinou a linguagem dos sinais (ASL, na sigla em inglês).
Foi tema de um documentário de 2014 intitulado “The Ape Who Went to College” (O símio que foi à faculdade).
O animal se mudou para o zoológico de Atlanta em 1997.

A instituição disse que Chantek “usava a ASL com frequência para se comunicar com seus cuidadores, com os quais desenvolveu estreitos laços pessoais” ao longo dos anos.

“Era tímido” para se comunicar “com pessoas que não conhecia e, frequentemente, escolhia formas de comunicação mais típicas dos orangotangos”, como gestos e vocalizações.

Chantek era um “dos orangotangos machos mais velhos” na América do Norte, acrescentou o zoo, em um comunicado.

Estado de Minas

Comentarios

Comentarios