Guilherme Guido disputou, em 2017, uma final de Campeonato Mundial em piscina longa pela primeira vez. Em Budapeste, na Hungria, o paulista de Limeira ficou com o sétimo lugar nos 100m costa, prova vencida pelo chinês Jiayu Xu. Na disputa do Troféu José Finkel, em Santos, no litoral de São Paulo, o experiente nadador conquistou a medalha de ouro nesta quarta-feira, mas quer melhorar suas marcas.

O melhor tempo de Guido no Mundial saiu durante o revezamento 4x100m medley, prova em que o Brasil terminou no 5º lugar, quando cravou 53s53. Depois de fazer 53s94 no Troféu José Finkel, ele diz que está pronto para baixar a marca para os 52s.

– Sinto que estou pronto para ter essa marca. Meu corpo está pronto. Agora é repetição, esporte é isso: repetição. Quero treinar ainda mais e estar em um dia bom para conseguir chegar a essa marca – disse.

Experiente, Guilherme Guido valorizou as presenças de atletas que estiveram no Mundial em Santos para a disputa do Troféu José Finkel. Segundo o nadador, a fase política de reestruturação que vive a natação brasileira pede que os ídolos da modalidade estejam em todas as competições.

– É importante que todos estejam aqui. O trabalho que é feito no Finkel é muito legal. Estar aqui depois de um Mundial é importante para a natação brasileira, para quem vem nos assistir. A gente precisa criar uma cultura competitiva como existe nos Estados Unidos. É um caminho para melhorarmos cada vez mais – completou.

O Troféu José Finkel é realizado na piscina da Universidade Santa Cecília, em Santos, no litoral de São Paulo. O Sportv e o Sportv Play transmitem as finais sempre no período da tarde.

Estado de Minas

Comentarios

Comentarios