Ao menos 23 pessoas morreram e outras 22 ficaram feridas nesta quarta-feira na explosão seguida de incêndio perto de uma fábrica de produtos químicos em Zhangjiakou, cidade do norte da China que será sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022.

A explosão atingiu 38 caminhões e 12 automóveis, que ficaram destruídos diante da fábrica do grupo Hebei Shenghua Chemical em Zhangjiakou, cidade situada 200 km a noroeste de Pequim, anunciaram as autoridades locais.

Os feridos foram levados a um hospital após a explosão, que ocorreu às 00H41 local (14H41 Brasília de terça), segundo um comunicado. As autoridades não revelaram a causa da explosão.

Em fotos e vídeos divulgados pela imprensa estatal era possível ver as carcaças carbonizadas de caminhões e outros veículos ao longo de uma estrada.

“Prosseguem os trabalhos de busca e resgate no local e a investigação das causas do acidente”, destacaram as autoridades.

O incidente teria acontecido na entrada da fábrica, quando um caminhão que transportava produtos perigosos explodiu, provocando incêndios nos veículos estacionados ao redor, de acordo com o jornal on-line The Paper.

A explosão provocou uma grande nuvem de fumaça e as chamas prosseguiram por várias horas.

“Pouco depois da meia-noite, quando desliguei o telefone celular para dormir, escutei um grande barulho, seguido por outros. Tudo tremia e caíram pedaços do teto”, relata Zhang, gerente em uma fábrica vizinha e que mora em um dormitório próximo ao local da explosão.

“Quando olhei pela janela, vi uma enorme bola de fogo que se propagava. Sei que algumas pessoas morreram, devem ser motoristas de caminhão. Durante a noite sempre há muitos deles em fila para entrar na fábrica”, disse.

O grande município de Zhangjiakou, que inclui um centro urbano e uma ampla zona rural, sediará as competições de esqui alpino dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022.

A fábrica em que aconteceu a explosão fica a algumas dezenas de quilômetros do local das competições.

A China foi cenário de vários acidentes industriais nos últimos anos.

Em julho passado, a explosão em uma fábrica de produtos químicos deixou 19 mortos e 12 feridos na província de Sichuan (sudoeste), atribuída a obras ilegais realizadas sem as devidas medidas de segurança.

Em 2015, a explosão de um depósito de produtos químicos matou 165 pessoas na cidade portuária de Tianjin (norte), gerando uma longa polêmica sobre as causas da tragédia e seu impacto ecológico.

O ex-prefeito da cidade foi condenado em 2017 a 12 anos de prisão por corrupção.

A China também registrou graves acidentes de trânsito nos últimos dias.

Na quinta-feira passada, um motorista atropelou um grupo de crianças na cidade de Huludao, nordeste da China, e matou cinco pessoas. Dezenove ficaram feridas. Na terça-feira, sete pessoas morreram atropeladas por um carro em uma calçada de Leshan, cidade do sudoeste do país.

Na China, os motoristas costumam ignorar as normas de trânsito. De acordo com dados oficiais, 58.000 pessoas morreram em acidentes nas rodovias do país em 2015.

Estado de Minas

Comentarios

Comentarios