A Seleção Brasileira Feminina de Vôlei afastou a pressão neste domingo e superou os Estados Unidos por 3 sets a 1, com parciais de 25/20, 25/13, 18/25 e 25/18, em jogo disputado no ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá, válido pela última rodada da primeira fase do Grand Prix.

O bom resultado deixou a equipe de José Roberto Guimarães com 18 pontos, provisoriamente na terceira colocação (a Holanda ainda pode ultrapassá-la), e assegurou-a na fase final da competição, que será disputada na China, a partir de 2 de agosto.

Depois de um início complicado no Grand Prix, a reformulada Seleção Brasileira  chegou pressionada aos três últimos jogos da fase classificatória. E ganhou os três, encerrando a primeira fase com seis triunfos e três derrotas.

Apenas seis times avançariam à próxima fase – e como a anfitriã China terminou em sétimo, o número de classificados caiu para cinco. Assim, o Brasil entrou em quadra neste domingo na sexta colocação, fora da zona de classificação. Mas, diante de uma seleção norte-americana já classificada, a equipe soube impor seu ritmo e venceu os dois sets iniciais com extrema tranquilidade.

Precisando do triunfo, contudo, a equipe sentiu a pressão. Não só caiu de ritmo e perdeu o terceiro set com facilidade, como iniciou mal o quarto e viu os Estados Unidos abrirem vantagem. Mas, aos poucos, a seleção brasileira retomou o controle emocional. E, por fim, sacramentou a vitória – e a classificação – com certa tranquilidade.

Com bom volume de jogo, o Brasil foi melhor em praticamente todos os fundamentos: ataque (55 pontos, contra 42 dos Estados Unidos), bloqueio (17 a 15) e erros (cedeu 13 pontos, contra 15). Apenas no saque, com seis pontos cada, eles terminaram empatados.

Destaque para a atuação de Natália, principal pontuadora do jogo com 19 acertos – 15 de ataque, três de bloqueio e um de saque. Adenizia também teve sólida atuação e fechou o jogo com 18 pontos.

Atual campeã da competição e em busca de seu 12º título, a equipe de José Roberto Guimarães apostou em uma renovação para o torneio. Nomes como a líbero Suelen e a ponteira Rosamaria, entre outras, foram convocadas em um time com poucos nomes remanescentes da Olimpíada do Rio-2016 – casos de Natália e Adenizia. E, agora, elas tentam consolidar a experiência na fase final do Grand Prix.

 

Fonte: Super Esportes

Comentarios

Comentarios