Depois da demissão de Alexandre Gallo, o Atlético pensa na reposição para a direção de futebol em 2019. Atualmente, o ex-jogador Marques ocupa o cargo interinamente. Mas o presidente Sérgio Sette Câmara analisa nomes mais experientes no mercado. Hoje, Rodrigo Caetano, executivo do Internacional, é quem mais agrada. Segundo a rádio Grenal, Caetano recebeu do Galo uma proposta vantajosa financeiramente e já teria informado a diretoria do Colorado sobre a oferta.

Rodrigo Caetano tem contrato com o Internacional até o fim de 2019, com multa em caso de saída antecipada. Vice de futebol do Inter, Roberto Melo, em mensagem enviada ao Superesportes, disse que o clube ainda não foi procurado pelo Atlético. “Ninguém nos procurou para falar sobre esse assunto até agora; lembrando que Rodrigo tem contrato com o Inter até o final do ano que vem”, disse.

A reportagem apurou que Rodrigo Caetano teria firmado um compromisso de continuidade de trabalho no Internacional com o presidente Marcelo Medeiros. O contato do Atlético, contudo, mexeu com o executivo. O clube gaúcho terá eleição presidencial em 8 de dezembro. Após o pleito, Marcelo Medeiros, que concorre à reeleição, vai se reunir com Caetano e conversar sobre a oferta alvinegra.

Rodrigo Caetano tem larga experiência no futebol. Foi jogador de clubes como Grêmio, Sport e Compostela-ESP, entre outros. Começou na gestão esportiva em 2003, no RS Futebol. Depois, passou por Grêmio, Vasco, Fluminense, Flamengo e, por fim, Inter.

Na administração do futebol, Caetano conquistou a Série B duas vezes: com o Grêmio, em 2005, e com o Vasco em 2009. Também levou a Copa do Brasil com o clube carioca em 2011.

No Fluminense, ajudou na campanha da conquista do Brasileiro de 2012. Já no Flamengo foi muito criticado por não conseguir montar um time vencedor, embora contasse com muitos recursos. Atualmente, no Inter, vem sendo elogiado pelo trabalho.

Atlético nega proposta

Em posicionamento oficial, o Atlético negou que tenha feito uma oferta oficial a Rodrigo Caetano, mas não desmentiu o interesse. O clube deve se posicionar sobre ações no mercado após o Campeonato Brasileiro.

Estado de Minas

Comentarios

Comentarios