Sol, tábuas sob rodas e muita diversão. Neste domingo, centenas de pessoas passaram pelo evento promovido pelo Alphaville Centro Comercial e a Skate Party, no estacionamento às margens da Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte: o Alphaville Skate Day. O encontro, gratuito e aberto ao público de todas as idades, teve o intuito de enaltecer a modalidade que, a partir das Olimpíadas de Tóquio 2020 passa a fazer parte da competição mundial. A programação contou com oficina para ensinar as primeiras manobras e competições em três modalidades.

Segundo um dos organizadores do evento, o skatista profissional Mateus Cavinato, de 26 anos, da Skate Party, a proposta foi mostrar que o skate pode ser praticado por qualquer pessoa, independentemente de idade, de perfil físico e da familiaridade com o esporte. “A habilidade se adquire com a prática e, como qualquer atividade esportiva, o skate tem inúmeros benefícios. É um esporte democrático, que não tem cor, raça ou gênero”, pontuou, acrescentando que no Brasil e em Minas Gerais, a quantidade de adeptos só cresce, e há vários locais interessantes para praticar as diversas modalidades.

Quem se destacou na pista foi Lucayan Mesquita, de 7. Apesar da pouca idade, a paixão pelo esporte está nos olhos da criança, que até mesmo durante a entrevista só queria colocar os pés no skate. “Há um ano e meio, ele me pediu um skate. Foi então que comprei o primeiro, mas quebrou rapidinho. Há cada dia ele evolui mais e acompanhamos comprando equipamentos de qualidades e o levando para competições”, contou o pai, Leonardo Mesquita, de 48.

Ao perguntar sobre como surgiu o interesse, ele respondeu: “Vi vídeos no Youtube”. Agora, o pai também decidiu se arriscar sob quatro rodas. “Era atleta de futsal, mas desenvolvi um problema no quadril e deixei o esporte de impacto. Eu levava o Lucayan para as pistas e ficava horas esperando. Então, decidi arriscar. E se encaixou maravilhosamente na minha vida”, disse Leonardo. Pai e filho aprovaram o evento e acreditam que esse tipo de iniciativa deveria se repetir por toda a cidade para incentivar o esporte. A música ficou a cargo da Kombi URBN. No comando das pick ups, entraram em cena DJs mineiros com sons para animar a pista.

Estado de Minas

Comentarios

Comentarios